08
Jun 09

A maior parte das minhas histórias têm algum tipo de fundamento em factos, apesar de como escritora de ficção me ser permitido ter algumas liberdades (e eu tenho-as). Ocasionalmente, como em Na Corda Bamba, uso um acontecimento real ou uma figura histórica como ponto de partida para uma história, mas na maior parte das vezes os meus enredos são inventados por mim. Às vezes, quando crio uma personagem, adopto algumas características das pessoas que estão à minha volta (família, amigos, colegas), apesar de nunca tentar recriar uma pessoa real nas páginas de um livro. Em vez disso, uso o realismo emocional; os detalhes podem ser inventados, mas os sentimentos são verdadeiros (sejam eles raiva, amor ou sede de vingança), depois as personagens ganham vida e a história, apesar de improvável, parece mais convincente ao leitor.

publicado por Rita Mello às 09:00

pesquisar neste blog
 
links
Leitores
blogs SAPO