28
Ago 12

 

 

Alguém me disse uma vez que, só em França, duzentas e cinquenta mil cartas são entregues todos os anos aos mortos.

O que ela não me disse foi que, por vezes, os mortos respondem...

 

Quando Vianne Rocher recebe uma dessas cartas, ela sente de imediato que a mão do destino está a empurrá-la de volta a Lansquenet-sur-Tannes, a aldeia de Chocolate, onde decidira nunca mais voltar. Passaram já oito anos, mas as memórias da sua mágica chocolataria La Céleste Praline são ainda intensas. A viver tranquilamente em Paris com o seu grande amor, Roux, e as duas filhas, Vianne quebra a promessa que fizera a si própria e decide visitar a aldeia no Sul de França. À primeira vista, tudo parece igual. As ruas de calçada, as pequenas lojas e casinhas pitorescas… Mas Vianne pressente que algo se agita por detrás daquela aparente serenidade. O ar está impregnado dos aromas exóticos das especiarias e do chá de menta. Mulheres vestidas de negro passam fugazes nas vielas. E na margem do rio, frente à igreja, ergue-se um imponente minarete. Os ventos do Ramadão trouxeram consigo uma comunidade muçulmana e, com ela, a tão temida mudança. Mas é com a chegada de uma misteriosa mulher, velada e acompanhada pela filha, que as tensões no seio da pequena comunidade aumentam. E Vianne percebe que a sua estadia não vai ser tão curta quanto pensava. A sua magia é mais necessária do que nunca!

 

No tão aguardado regresso de Vianne Rocher, Joanne Harris transporta-nos para o mundo encantado da aldeia de Chocolate. Um mundo onde fantasia, realidade, chocolate e natureza se fundem na perfeição. Está de novo aberta a porta da magia!

publicado por Rita Mello às 09:34

pesquisar neste blog
 
links
Leitores
blogs SAPO